• Laura Vassalli

Hemocromatose (1) - Entendendo esta patologia

Este é o primeiro de uma série de textos sobre a hemocromatose. Neste primeiro texto irei abordar as características gerais da doença. O que é, como se manifesta, como é diagnosticada e como é o tratamento. Nos posts seguintes irei abordar com um pouco mais de profundidade cada um desses aspectos.


O que é a hemocromatose?


A hemocromatose é uma patologia na qual uma quantidade excessiva de Ferro se acumula no organismo. Em fases muito avançadas ela pode levar a problemas no fígado e no coração, dores articulares, sensação de fraqueza, entre vários outros sintomas. Ela pode ser causada por um gene anormal, que é hereditário, ou seja, passado na família, e esse tipo de hemocromatose se chama hemocromatose hereditária, mas também pode ser causada por transfusões frequentes de sangue.

Qualquer pessoa com um membro da família afetado pela hemocromatose hereditária pode ser testada quanto à possibilidade de ter esta doença, até porque boa parte das pessoas que têm hemocromatose descobrem a doença através de um exame de sangue alterado, antes de terem qualquer sintoma.


É comum que nos homens os sintomas não ocorram antes dos 40 anos, e nas mulheres, só ocorram após a menopausa, quando se interrompe a perda de sangue pela menstruação. Isso ocorre pois demora bastante tempo para o acúmulo de ferro passar a gerar sintomas no corpo.


Quais são alguns sintomas da hemocromatose?


Sentir-se muito cansado, fadigado;

Mudanças na cor da pele, que fica mais escura;

Dores nas articulações, principalmente nas mãos;

Sintomas de problemas no fígado, como dor abdominal e olhos amarelados (a chamada icterícia);

Sintomas de problemas no coração, como dificuldade para respirar;

Sintomas de diabetes ou outros problemas hormonais;

Quando a hemocromatose não é tratada, ela pode levar a problemas crônicos, como o dano (insuficiência) hepático ou cardíaco, problemas de tireóide, diabetes, artrite ou dores nas articulações e alterações de função sexual.


Como é o tratamento?


Algumas pessoas com alterações no gene HFE, mas sem alterações nos exames de sangue que mostram o nível de ferro no organismo, podem não necessitar de tratamento, e apenas serem acompanhadas periodicamente. Nestes casos, é importante evitar o consumo de álcool, que pode danificar o fígado e levar os níveis de ferro a aumentar.


Quando o tratamento é necessário, a maioria das pessoas terá sangue removido do corpo de maneira regular (o que chamamos de sangria terapêutica). Este tratamento é efetivo porque a retirada do sangue reduz o ferro do organismo.


Se você tem hemocromatose, é possível que precise fazer essa retirada de sangue uma vez por semana, até que os seus níveis de ferro estejam normalizados. Isso pode demorar cerca de um ano, mas pode ser mais ou menos breve, dependendo de quanto ferro “a mais” está no seu corpo.


Algo que você pode fazer por si mesmo é evitar o consumo de suplementos de ferro e de polivitamínicos que contenham ferro. Isso não impede, no entanto, de usar vitaminas que não tenham ferro e de ter uma dieta normal, incluindo o consumo de carne.


Bibliografia

Bacon, BR; Kwiatkowski, JL - Approach to the patient with suspected iron overload - In: UpToDate, Post TW (Ed), UpToDate, Waltham, MA. (Acesso em 07/05/2021.)

Bacon, BR - Clinical manifestations and diagnosis of hereditary hemochromatosis QQ - In: UpToDate, Post TW (Ed), UpToDate, Waltham, MA. (Acesso em 07/05/2021.)

Bacon, BR; Camaschella, C - HFE and other hemochromatosis genes - In: UpToDate, Post TW (Ed), UpToDate, Waltham, MA. (Acesso em 07/05/2021.)


#hemocromatose #acumulodeferro #sintomasdahemocromatose #hematologia #hematologista #dralauravassalli #lauravassallihematologista #medicadosangue