• Laura Vassalli

Entendendo a Trombose Venosa Profunda

Atualizado: Jul 2

Trombose Venosa Profunda (TVP) é um termo médico para a presença de coágulos nas veias profundas dos membros inferiores, ou seja, das pernas. Quando isso ocorre, a veia é "entupida", impedindo o sangue de ir para onde ele deveria ir. Com isso, o sangue pode refluir e causar dor e inchaço.

Além disso, como os trombos podem viajar pelo corpo inteiro, podem ocorrer outros problemas como um bloqueio fluxo de sangue nos pulmões, podendo gerar dificuldade para respirar e mesmo causar a morte. Quando isso ocorre, temos o que chamamos de TEP (Ou Trmboembolismo Pulmonar).


Uma TVP pode ocorrer em um braço, ao invés de uma perna, mas isso é muito mais raro.



Quais são os fatores de risco para a ocorrência de uma TVP?


(1) Várias condições médicas e medicamentos aumentam o risco de desenvolver um coágulo sanguíneo. Por exemplo:

Câncer

Imobilização (por exemplo, devido a hospitalização, recuperação de lesão, repouso na cama ou paralisia)

Idade mais avançada, especialmente com mais de 65 anos

Obesidade

Gravidez

Certos medicamentos (por exemplo, pílulas anticoncepcionais, terapia de reposição hormonal, tamoxifeno, talidomida, eritropoietina). O risco de um coágulo sanguíneo aumenta ainda mais em pessoas que usam um desses medicamentos e também apresentam outros fatores de risco.

Tabagismo

Insuficiência cardíaca

Problemas renais

Câncer - Pessoas que estão em tratamento para câncer (por exemplo, com quimioterapia ou radioterapia), ou que têm câncer avançado e não estão sendo tratadas, apresentam risco particularmente elevado.


(2) Os procedimentos cirúrgicos, e em especial os que envolvem o quadril, a pelve ou o joelho, aumentam o risco de uma pessoa desenvolver um coágulo sanguíneo.


Durante o período de recuperação, a inatividade prolongada também pode aumentar o risco de desenvolver um trombo.


(3) Se uma pessoa tiver uma TVP e não houver nenhuma condição médica conhecida ou cirurgia recente, lesão na perna ou imobilidade que possa ter causado a TVP, é possível que uma condição hereditária seja a causa, principalmente em pessoas com um membro da família que também apresentou TVP ou embolia pulmonar.


(4) A trombofilia hereditária se refere a um problema genético que faz com que o sangue forme coágulos anormais com mais facilidade. Vários fatores no processo de coagulação do sangue podem estar envolvidos, dependendo do tipo de problema genético presente.


Exemplos de trombofilia hereditária incluem fator V Leiden; a mutação do gene da protrombina; e deficiências de fatores de afinamento do sangue de ocorrência natural (antitrombina, proteína C e proteína S).


(5) Alguns tipos de trombofilia não são herdados, mas ainda podem aumentar o risco de uma pessoa desenvolver um coágulo sanguíneo. É o caso por exemplo de:


- Certos distúrbios do sangue, como policitemia rubra vera ou trombocitemia essencial;

- Anticorpos antifosfolípides (anticorpos no sangue que podem afetar o processo de coagulação);

- Níveis elevados de um ou mais fatores envolvidos na coagulação do sangue, como o fator VIII;


Quais são os sintomas de uma TVP?


Os sinais e sintomas são inespecíficos e podem ser causados ​​pelo próprio coágulo ou podem estar relacionados a outra condição. Os estudos de imagem podem ser necessários para diferenciar se um coágulo está presente ou se os sinais e sintomas são devidos a outra condição.


Os sintomas clássicos de TVP incluem inchaço, dor, vermelhidão, calor e sensibilidade ao toque na perna envolvida.


Como é diagnosticada a TVP?


Quando a história, os sintomas e o exame físico sugerem ao médico a possibilidade de uma TVP, são realizados alguns exames de forma a confirmar ou rejeitar o diagnóstico. Os exames podem incluir um exame de sangue denominado D-dímero e ultrassonografia de compressão das veias das pernas, ou outros exames de imagem.


Depois de confirmar que a TVP ou o TEP estão presentes, o médico busca a causa disso ter ocorrido. Em muitos casos, existem fatores de risco óbvios, como cirurgia recente ou imobilidade. Em outros casos poderá ser necessária a busca de alterações hematológicóas chamadas de trombofilias ou outra condição médica associada a um risco aumentado de trombose venosa, como o câncer.


Pessoas com algumas anomalias adquiridas ou hereditárias podem requerer tratamento adicional ou medidas de prevenção para reduzir o risco de outra trombose.


Como é tratada a TVP?


No tratamento da TVP, o objetivo principal é de prevenir um TEP, além da prevenção do aumento de tamanho do coágulo, da formação de novos trombos e da ocorrência de complicações.


O tratamento da TVP e do TEP são semelhantes, com o uso de medicações de efeito anticoagulante, ou seja, que inibem a coagulação do sangue e que não dissolvem os coágulos, mas previnem a formação de novos trombos. Alguns tratamentos podem ser usados em situações específicas, como a terapia trombolítica e a colocação de um filtro na veia cava inferior.


A anticoagulação é recomendada por um MÍNIMO de três meses em um paciente com TVP, sendo variável conforme a avaliação médica do quadro, dos fatores de risco envolvidos e de outras questões.


#trombose #trombosevenosaprofunda #coagulação #trombofilia #tvp #doençashematológicas #hematologia #doencasdosangue #dralauravassalli #disturbiosdacoagulacao #hematologia #doencashematologicas #medicadosangue #dralauravassalli #lauravassallihemato #lauravassallihematologista #medicasoul